Já ouviu falar na máquina de cartão Contactless?

Já ouviu falar na máquina de cartão Contactless?

A máquina economiza tempo dos clientes e dos empresários na hora de realizar uma compra

Pouco popular no Brasil, a máquina de cartões de crédito e débito Contactless acompanha as inovações tecnológicas mundiais e chegou há seis anos no país. Alguns lojistas já aderiram a novidade, assim como grandes empresas de cartão de crédito que já enviaram novos cartões para o cliente.

A máquina de cartão contactless terá um sinal parecido com o do Wi-fi e permite que o cliente apenas aproxime o cartão de crédito ou débito na máquina para aprovar a compra. É um pagamento que também acessa carteiras digitais, aquelas disponibilizadas nos smartphones em que só cadastramos o cartão e também aproximamos o celular às máquinas.

Nest post falaremos um pouco mais dessa nova maneira de comprar com cartão. Será que é segura? Em caso de roubo, por exemplo, com a não exigência da senha qualquer um pode usar seu cartão de crédito com uma máquina contactless. Isso é perigoso?

 

Tecnologia NFC

A tecnologia que permite o pagamento apenas com a aproximação do cartão ou do celular se chama NFC. A conexão é feita por radiofrequência e para o comerciante funciona como uma compra por cartão normal. Quando o valor aparecer na tela, o cliente aproxima o cartão de crédito ou celular a máquina que rapidamente desconta.

 

Tipos de conexão

As conexões podem ser passivas, ativas, leitor e gravador e peer-to-peer. A operação mais utilizada em lojas é a ativa,que envia e recebe dados, sem gravá-los, diferente da terceira opção, usada em serviços de bilhete único, onde há a conexão e a gravação de dados. Na última opção, peer-to-peer, é como o bluetooth, conexão entre os aparelhos, sendo a mais simples. A conexão passiva é apenas a geração de sinal entre os dispositivos.

Como aderir a minha carteira de digital ou cartão de crédito contactless

Chamada de Wallet nos smartphones iOS, as carteiras digitais estão disponíveis para Android e outros sistemas operacionais. Normalmente, você precisa cadastrar os dados do cartão de crédito/débito no aplicativo, ou somente tirar uma foto. Depois do cadastro feito, procure o símbolo nas lojas e comece a utilizar sem digitar senha.

Caso você queira ter o cartão de crédito contactless, pesquise se seu banco já disponibiliza essa opção e peça um novo cartão. Se não, empresas com contas digitais como a Nubank já aderiram ao contactless e seu primeiro cartão já será adaptado.

Depois disso, você não precisará digitar senha ao fazer compras, a não ser que queira: essa opção ficará disponível mesmo que seu cartão tenha o sinal de contactless, ou seja, ele ainda tem o chip para compras tradicionais.

 

Afinal, é seguro aderir a Contactless?

Sim e não. Primeiro, para quem tem o cartão de crédito, precisa ter muito cuidado. Uma vez que você perde o cartão e alguém encontre, qualquer um pode utilizar sem a senha, apenas com a aproximação. Então, caso isso aconteça, tenha ainda mais cautela do que com cartão de crédito de chip.

Agora, se você tem aplicativos com as carteiras digitais, dados podem ser apagados a distância, impossibilitando o uso de terceiros. Além disso essa tecnologia permite que o cartão não armazena nenhum dado do cliente sem a senha, então não muda muito dos cartões bancários tradicionais.

 

Empresas que já aderiram a tecnologia

Se você já está adaptado a nova era das contas digitais, sem anuidade e com poucas taxas, procure empresas como a Nubank, Banco Inter ou Neon, alternativas consolidadas no mercado e que quase não cobram tarifas do cliente. Além de ter agilidade na hora do pagamento, você já não terá nenhum tipo de cobrança.

Mas se você já tem conta bancária em grandes bancos como o Bradesco, Banco do Brasil e Santander, essas instituições financeiras também já se adaptaram a modalidade sem contato. É só pesquisar e fazer o pedido de um novo cartão de crédito ou débito que seja sem contato.

 

Limite no valor gasto

Em alguns países, se seu cartão de crédito é internacional, é estipulado um valor máximo a ser gasto para dar mais segurança ao cliente ou turista que está a passeio e utilizando muito o cartão. Normalmente, o cliente sabe desse limite e o controla. Quando ele é ultrapassado, funciona como um alerta para a empresa, que aciona o cliente imediatamente.

No Brasil, não há limite de gastos com a tecnologia, a não ser que o seu banco tenha definido um pra você. Por isso é tão importante pesquisar qual a melhor instituição financeira que irá oferecer a modalidade contactless. Escolha a que irá melhor atender às suas necessidades como consumidor.

 

É popular no Brasil?

Não adianta querer ter a tecnologia no país se ela será pouco utilizada. Nos grandes centros, a contactless já é uma realidade e mais de 70% das máquinas já são adaptadas a tecnologia, que cresce cada vez mais em vários estados. Ainda sim, ela ainda está em expansão.

Ainda sim, é um mercado promissor: a grande Visa, já aderiu a tecnologia há alguns anos e acaba atribuindo a maioria dos cartões de crédito cadastrados. Utilizar o pagamento por aproximação já faz parte da realidade de maioria das empresas de crédito e facilita a vida do cliente.

 

Os pagamento sem contato, ou contactless, está se espalhando em todo mundo. Popularizado pela Visa, promete agilidade nas compras e uma modernização com o passar dos anos. Só no Brasil, até 2017, mais de 3 milhões de máquinas de cartão eram compatíveis com a modalidade sem contato.

Ainda sim, a praticidade da tecnologia contactless exige cautela. Quando a não exigência da senha se torna uma realidade, o cuidado precisa ser redobrado em caso de perdas. O cliente tem menos respaldo das empresas e acaba ficando refém. Por isso, a dica é que ao utilizar a tecnologia, deixe salvo em sua carteira digital no celular pra evitar golpes.

Lembrando que mesmo aderindo a modalidade sem contato, você precisa estar munido com sua senha em caso de problemas técnicos ou a falta da máquina que aceite o contactless.

 

 

 

Recomendados Para você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *