Instabilidade política: como influencia em nossas finanças?

O sinal disso é a constante alta do dólar e a desvalorização da moeda brasileira

Não está fácil viver no Brasil e em qualquer país do mundo por causa da quantidade de crises enfrentadas. Temos uma pandemia de uma doença viral grave, falta de união entre governantes e presidente, além da queda brusca da economia. Todos os setores foram atingidos de alguma forma.

Veja também:

  • Aumentar o SCORE
  • E a vida eterna é esta: que te conheçam a Ti, o Único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.

    João 17:3

    Pode parecer que não, mas tudo isso impacta as famílias mais pobres e de classe média de forma direta e a curto prazo. Vemos pessoas perdendo empregos, empresas fechando e preços mais altos no supermercado e nas bombas de gasolina. Cenário ideal para perda de poder de compra.

    Sem falar que muitas cidades fecharam os comércios, o que interrompe o giro de dinheiro. Empresas e lojas não conseguiram aguentar dois meses e acabaram fechando as portas. Além de tudo isso, temos a inconstância do governo brasileiro, que demite ministros e não concorda com as regras da organização mundial de saúde.

    Advertisement

    Neste artigo trouxemos alguns aspectos da crise política que impactam em nossas finanças diretamente. Vemos que o dinheiro não renda e muitas pessoas não entendem porque. Veja algumas atitudes que fazem isso com nosso bolso.

    Primeiramente, a economia

    Fechamento de comércios e incentivo ao isolamento social já impactaram diversas famílias brasileiras. Quando a economia vai mal, quase nada vai bem. Perdas de emprego e cortes de salários são as primeiras atitudes de empresas para se salvar. Quando não dá mais, chega o fechamento.

    O que também retarda a retomada da economia é o pouco isolamento social. Diversos países da Europa que hoje reabrem suas economias investiram em fechamentos logo no começo da pandemia, fazendo com que hoje a realidade fosse diferente do que acontece no Brasil.

    Não houveram ordens de isolamento e fechamento coletivas, então, cada governador tomou a sua decisão. Mesmo com número de casos crescendo diariamente, alguns estados estão reabrindo seus comércios e indústrias. O que eleva o risco da pandemia durar ainda mais por aqui.

    Essas atitudes, coladas em conjunto, prejudica ainda mais famílias e atrasa ainda mais a reabertura da economia. As decisões desencontradas confundem e atrapalham a recuperação de todos os setores.

    A alta do dólar

    O dólar sobe por vários motivos, mas os principais são dois: um, quando os juros nos Estados Unidos estão altos, aí os investidores do Brasil levam seus investimentos para diversos países, locais estes onde os rendimentos estão mais altos. Outro fator é quanto turistas gastam dólares fora do Brasil, o que roda a moeda mais lá do que aqui.

    Bom, sabemos que estamos em uma pandemia viral então esses fatores contam, mas nem tanto. A cada decisão que o mercado considere equivocada, como declarações negativas do presidente, queda de ministros e instabilidade em Brasília também coloca o dólar lá em cima. Tendo isso, outros preços sobem, principalmente aqueles de produtos que compramos de outros países.

    Os setores fechados

    Comércios, empresas não essenciais e lojas do Brasil fecharam, mesmo que não tenha sido por muito tempo. O problema disso é a queda em vendas, demissões e fechamentos. Muitos empresários que não tem criatividade para inovar no jeito de vender, não viram outra saída a não ser demitir e cortar salários.

    Veja →   Como ser aprovado mais rápido no cartão de crédito

    Fechamento de indústrias e comércio obrigaram famílias a se readaptar e muitas não conseguiram. Não tiveram ajuda ou fôlego, tirando essas pessoas de situações de sobrevivência para uma de quase miséria. O momento é triste e a queda de setores influenciam diretamente em nossa vida.

    Realocação de dinheiro

    Muitos governos estaduais e federais deixaram de investir em outros setores para investir em saúde, atitude que é esperada por causa dos problemas estruturais da saúde. A falta de investimento do estado nas empresas, tira o incentivo e aumenta os impostos. Com pouco dinheiro para investir no seu negócio, muitos empresários ficam sem opção e acabam fechando. Pessoas, de novo, perdem o emprego.

    Queda em bolsas

    Para investidores, é um dos momentos mais difíceis para ver o dinheiro render. Economia em queda gera empresas em queda, o que transforma a bolsa num amontoado de oscilações. A falta desse dinheiro também impacta em multinacionais, que fazem demissões em massa nem só porque falta grana, mas para evitar que ela um dia acabe. É uma decisão triste, mas é a longo prazo na visão de empresários.

    Cancelamento de serviços

    Diaristas, costureiras e autônomos em geral viram sua renda mensal despenar. Sabemos que a regra é não receber pessoas de fora em casa, e quem não pode pagar por um serviço interrompido, cancela tudo de uma vez. Essas pessoas que recebem por semana e não possuem uma renda fixa definida, estão sofrendo muito.

    Mesmo com o auxílio do governo federal oferecido para esses profissionais, ainda é abaixo da renda recebida por eles. Muitas acabam arriscando a própria saúde para sobreviver, o que é uma realidade muito presente no Brasil.

    Falta de investimentos no país

    A postura tomada pelo Brasil em relação a pandemia pode custar muito dinheiro para nossa economia. Jornais do mundo inteiro criticam a maneira como a doença está sendo tratada e o aumento crescente de casos confirmados e mortes. Um dos setores que serão diretamente afetados após a pandemia ser controlada é o de turismo.

    Isso porque viajantes de outros países podem não se sentir seguro para visitar nossas belezas, já que não há uma queda considerável nos números da doença. Infelizmente, o Brasil mostra que será um dos últimos a se recuperar do vírus, o que nos prepara para um cenário ainda pior nos próximos meses.

    Conclusão: é hora de se proteger

    Não só proteger a saúde, mas seu dinheiro. A chave para cuidar da sua família neste momento é guardar dinheiro e gastar o mínimo que puder. Ganhar mais dinheiro também é uma solução sábia, porque os fatos mostram que não dá para esperar uma solução eficaz do Estado Brasileiro para a doença.

    Mais do que nunca, conquiste seu próprio poder de compra através de criatividade para conseguir uma renda extra e oferecer seus serviços sem gerar riscos para você e as outras pessoas. É hora de a

    "Creia no senhor Jesus e será salvo tu e a tua casa!"