Cartão de crédito: quando é hora de parar?

Cartão de crédito: quando é hora de parar?

 

Você sabe identificar o momento em que entrou em uma “bola de neve”? Neste post traremos alguns sinais de que o cartão de crédito se tornou um problema dos grandes!

Quando usado com sabedoria, o cartão de crédito pode ser a solução para vários problemas, mas, em alguns casos, ele se torna o próprio problema. É importante sempre lembrar que o cartão de crédito não é um valor a mais na sua renda e sim recursos que você usa e terá que pagar depois. A cada uso, mais gastos e taxas.

Imagine uma compra alta, que você jamais pagaria o valor total à vista. Ainda que tenha o limite de crédito lá, pronto para usar, será que compensa entrar em uma dívida que em outro momento eu não gastaria o valor total? Os gastos do cartão de crédito são acompanhados, muitas vezes, de impulsos, que precisam ser observados.

Por esse e outros motivos, é que preciso pensar muito antes de tirar o cartão de crédito da bolsa ou carteira. Será que não dá pra pagar a vista? Ou, será que preciso disso agora ou posso esperar até juntar o dinheiro todo? A falta dessas perguntas internas fazem com que você crie um verdadeiro “bolo” de contas, e para tentar entender se você está nesta situação, traremos algumas dicas.

 

Você espera o mês todo pela volta do limite

Seu salário ou renda não é mais “sua”. Todos os meses, ele serve apenas para pagar o cartão de crédito, que já cai direto no débito automático e “come” tudo o que entra na conta. Sem falar na quantidade de taxas acopladas ao cartão de crédito, que fazem você gastar mais do que ganha todos os meses

 

Nem lembra a última vez que pagou à vista

Você acaba até ficando assustado(a) quando vê alguém pagando algo no débito ou dinheiro. Pra você, isso agora é impossível, já que tem um bom limite de crédito para segurar as pontas. Como cliente, até acha que está no lucro, mas quem está ganhando dinheiro é o banco.

 

Muitas parcelas

Essa é uma das situações mais complicadas: quando você abre a fatura e está cheia de parcelas de muitas compras. Isso significa que seu limite não voltará ao normal todos os meses, fazendo com que você caia em uma cadeia de novas parcelas, gastando o pouco limite de crédito que ainda resta. E aí, com atrasos, taxas, juros e outras tarifas chegam dobradas.

Muitos cartões de crédito

Ter muitos limites de crédito altos com uma renda relativamente baixa é o que podemos chamar de cilada. Se acaba o limite em um, você usa outro e ainda vai acumulando mais e mais dividas em diversos bancos, instituições financeiras, ou lojas. Cada nova oportunidade de ter um cartão de crédito é agarrada, e consequentemente, adquire mais dívidas.

 

Parcela a fatura todos os meses

Se existe uma coisa que pode te complicar (e muito!) é pagar o mínimo da fatura do cartão de crédito ou parcelar o que você já paga. Os juros, altíssimos, podem ultrapassar seu orçamento. Essa atitude em algum momento irá ser como nem ter pago nada, já que a maioria dos bancos tenta debitar a fatura completa várias vezes.

 

Pagar faturas com cheque especial ou empréstimo

Já ouvir falar daquela expressão trocar “seis por meia dúzia?”. É o que você faz quando está encurralado e recorre ao próprio banco para tentar organizar sua vida financeira. Não vai adiantar pagar dívidas criando outras piores, com taxas que podem ser ainda mais altas e abusivas para seu bolso.

 

Aceitar a primeira proposta que aparecer

Quando você já está pagando juros e com dívidas no cartão de crédito, pare de pensar que outras propostas serão melhores. Você já está em uma situação difícil, então não piore pesquisando opções sem taxas, cartões de crédito digitais sem anuidade e outras opções porque só criará mais problemas.

Nesse ponto, com dívidas, você precisa procurar uma forma de aumentar a renda e sair dessa “prisão”. Contas relacionadas a cartões de crédito estão entre as piores, porque todos os meses os juros são maiores, transformando uma pequena fatura em uma conta alta. Então, sempre que “opções revolucionárias” aparecerem, pense: isso não vai me ajudar, o que pode resolver a situação é apenas pagar as faturas.

 

Os pequenos gastos

Sabe aquela história: “não imaginava que gastar de R$ 10,00 em R$ 10,00 geraria uma fatura de R$ 600,00 no fim do mês?” Pois é. Isso é uma prova de que gastos descontrolados, em grande ou pouca quantidade também complicam a vida do cliente. Por isso, tudo que você pensa que é barato, é um gasto igual à todos, então faz diferença.

Se você é uma pessoa que costuma passar tudo no crédito, cuidado. Você está partindo para um caminho que será díficil de sair em algum momento.

 

O limite do cartão de crédito é maior que sua renda

Isso é uma estratégia dos grandes bancos para te deixar preso à esse crédito. Até esquecemos de analisar no primeiro momento que a conta não bate: como ter um limite maior do que meu salário? Se eu gastar tudo, como pagarei? Muitas pessoas deixam de ponderar essas duas situações.

Ter um limite maior no crédito nos dá a sensação de segurança, o que induz ao erro de achar que o cartão de crédito me traz um valor a mais mensalmente: “se nada der certo, tenho o cartão de crédito”, sabe? Errado!

 

Depois dessas dicas, você chegou a conclusão que está endividado? Se sim, comece um planejamento. O problema foi criado, agora o primeiro passo para a solução é botar tudo no papel. Priorize suas dívidas e comece a deixar o cartão de crédito como segunda opção. A partir daí, sua vida financeira será mais saudável. Tente até mesmo deixar esse plástico tão querido por você em casa algumas vezes, para ter “sentir na pele” o gasto que sempre teve.

Esperamos que você tenha sido ajudado com as dicas!

Recomendados Para você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *